[Resenha] Uma Noite Como Esta de Julia Quinn








Título: Uma Noite Como Esta
(Quarteto Smythe-Smith # 2)
Autor : Julia Quinn
Paginas : 272
Editora : Arqueiro
Gênero : Romance de Época
Classificação :  

Sinopse:

Daniel Smythe-Smith passou três anos exilado na Itália depois de um duelo com seu amigo, o gênio matemático Hugh Prentice, e quase o fez perder uma perna. Com isso o pai de Hugh, Lorde Ramsgate, o ameaçou dizendo que se ele não saísse do país seria morto, mas um dia ele recebe a visita de seu amigo, que o libera para voltar à Inglaterra...
Ele volta justamente no dia da apresentação do Quarteto, mas encontra uma pessoa diferente ao piano (já que sua prima Sarah fingiu estar doente para não participar, Anne Wynter, a governanta das irmãs dela a substituiu), ao olhar para ela, ele fica encantado e, ao final da tortura apresentação ele corre para encontrá-la. Ao vê-la, não resiste e a beija, mesmo sem conhecê-la direito e ela, depois de um tempo escapa dele e se esconde.  Por falar em se esconder, Anne Wynter (ou melhor, Annelise Shawcross) esconde seu passado de todos, pois ela teve que se afastar de sua família, após ser enganada e humilhada por seu amado, que prometeu se casar com ela, sendo que na verdade já estava comprometido com uma mulher mais rica. Além de ter perdido a virgindade, o que já era terrível, ainda leva toda a culpa pelo que aconteceu, e por isso, ela não pode mais ter contato com a família e ela é levada para viver como governanta numa residência na Ilha de Man. Depois de um tempo, Anne foi contratada para cuidar das meninas Pleinsworth, primas de Daniel. E apesar da tentativa de manter seu passado oculto, a Lady Pleinsworth desconfiava que ela era de origem nobre e tinha motivos para negar sua criação.  Daniel, ao saber que Anne é a governanta de suas primas, resolve ir sempre à casa Pleinsworth sob o pretexto de vê-las, e sempre ia passear com elas, porque sabia que ela iria junto. E, com isso eles vão ficando cada vez mais apaixonados, mesmo que ela não adimita. Mas, o que ele não sabe, é que os segredos de Anne, vão além do tipo de criação que teve, e que agora, mais do que nunca, precisará conhecer o seu passado, pois ambos estão correndo perigo, e, desta vez, não tem nada a ver com o Lorde Ramsgate ou o duelo.

AVISO: A sinopse contem mais spoiler que a resenha...

Anne Wynter é uma bela jovem que trabalha como governanta na casa de Sarah Pleinsworth, ela é uma moça prendada e de boa formação. Então quando Lady Sarah fica irremediavelmente "doente" e impossibilitada de participar do recital, é Anne que vem por livre e espontânea pressão tocar com o quarteto da Smythe-Smith.. Ela toca piano de maneira mediana e fica meio que apagada diante de moças que tocam terrivelmente mal.

Anne tem um segredo em seu passado, o que à força viver com uma identidade falsa. Ela foi seduzida por um lord de seu vilarejo, onde lhe entregou sua virgindade, sua inocência e sua liberdade. Pois depois do ocorrido, e de toda a sua desgraça ter sido revelada, sua família lhe poê pra fora de casa e a proíbem de entrar em contato. E o lord depois de um terrível incidente, lhe jura vingança e a caça por toda Londres durante anos e sem sucesso. Até o momento...
"O flerte havia sido ótimo. Mas não as consequências. Por essas ela ainda estava pagando."
Srta. Wynter foi contratada para tomar conta de Harriet, Elizabeth e da adorável Frances (melhor personagem da série) As três mocinhas tem muita personalidade. Pois Harriet escreve peças de teatro que apesar de não serem comedias são hilárias. Elizabeth é sarcástica e altamente critica E Francis é apaixonada por unicórnios e simplesmente acha que é um.

Daniel Smythe-Smith ou Lorde Ramsgate carrega a culpa por ter aceitado o desafio para o duelo com seu amigo Hugh Prentice. Tudo que tinha para dar errado naquele fatídico dia deu. Hugh o acertou de raspão e ele ao escorregar acertou o tiro na perna do amigo o deixando entre a vida e a morte.
Hugh não morreu, mas ficou com a perna danificada e o pai dele lhe jurou de morte. Fazendo com que Daniel vivesse como um fugitivo durante três longos anos.
"Eu a desejo com um fervor que abala a minha alma. Não tenho ideia de por que o desejo, mas foi o que senti no instante em que a vi no piano, e isso só aumentou desde então."
Hugh encontra Daniel na Itália e o convence que ele pode voltar para casa, e depois de ser convencido com provas, ele enfim volta pra casa na noite do recital. Ao chegar ele fica escondido observando suas primas tocando, quando repara em uma linda moça que ele não a reconhece como parente. E logo após o recital ele aborda a moça e descobre que ela trabalha para sua tia e garante que irá visitá-la.

A atração entre os dois é forte e reciproca, e a desculpa que Daniel arranja para ficar o maior tempo possível na companhia de Anne, é matar as "saudades de suas primas Harriet, Elizabeth e Frances.
E esses encontros são com certeza as melhores partes do livro.
"Em menos de uma semana aquele homem descobrira mais sobre Anne do que ela revelara a qualquer pessoa nos últimos oito anos. Era inquietante. E perigoso."
O livro continua na mesma pegada do primeiro, sendo focado na trama e no romance e praticamente inexistentes cenas picantes. Mas a escrita da Julia Quinn é maravilhosa e encantadora como sempre,  apesar da história e si ser um grande clichê. Mas, eu adoro um bom clichê...
Confesso que o ponto alto dos livros são as meninas Harriet, Elizabeth e Frances sem elas talvez minha opinião pudesse ser diferente sobre a série.

13 comentários:

  1. Adri!
    O que achei mais lindo foi Daniel não se importar com a condição social de Anne e nem com o que aconteceu com o passado dela, ele simplesmente enfrentou tudo para ficar com ela.
    Bom feriado!
    “Compreender que há outros pontos de vista é o início da sabedoria.” (Campbell)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  2. Acho engraçado que apesar de conhecermos as meninas das histórias dos Bridgertons realmente não as conhecemos. Exceto pelas referências a falta de talento, não me lembro nem de alguém citar os primeiros nomes delas. Enfim, não é a primeira vez que tbm vemos uma mocinha pobre, sem títulos, se apaixonar por um nobre, mas espero muito, do fundo do coração, que Daniel seja um personagem melhor que Benedict... até hj estou procurando o "cavalheiro" do título.

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Eu adorei a resenha, o fato da mocinha não ser mais virgem quebra um pouco os padrões da sociedade de antigamente o que eu particularmente adoro, não vejo a hora de ler.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, estou super ansiosa pra ler essa série, amo os livros da Julia Quinn, cada resenha que vejo dos livros me deixa ainda mais curiosa em conferi isso tudo que estão dizendo, adoro quando a mocinha foge dos padrões.

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nada da autora, mas tenho vontade devido aos elogios. Achei a mocinha diferente, pois geralmente elas ainda são donzelas, quando são cortejadas, não sei se o personagem quando souber como será sua reação, pois costumam dar valor a isso,não sei porque o Lord quer se vingar dela.

    ResponderExcluir
  6. Oi,Adriana
    Francis acha que é um unicórnio??Rs,que fofa,não li,mas já acho que as irmãs são o ponto alto do livro também XD

    ResponderExcluir
  7. Ahh que vontade de ler essas histórias! Parece ser tão gostoso *-*
    E esse Daniel já me chamou atenção no primeiro livro. Pelas resenhas que vi fiquei curiosa com ele. A história dele parece estar boa e tem tantos personagens marcantes! Fiquei curiosa com essas três meninas também. Já vi umas resenhas fazendo outros elogios para elas e pelo que vi acho que iria gostar.
    Uma coisa que me agradou foi esse tom diferente da outra série da autora, aqui parece ser tudo mais romântico e leve, meio caído para o lado do clichê mas sendo aquele clichê gostoso de ler e que faz a gente suspirar de amores. Adoro!

    ResponderExcluir
  8. Quero tanto ler essa série, mas primeiro vou terminar a primeira!
    Quero ler todos os livros da Julia!
    Só falta dinheiro agora!

    ResponderExcluir
  9. Sou apaixonada pela escrita da autora. É verdade que a maior parte de suas historias são clichê, mas amo! Estou ansiosa para começar a ler e conhecer o quarteto da Smythe-Smith, as protagonistas parecem ter personalidades bem diferentes. Com certeza vou ler.

    ResponderExcluir
  10. Olá, como dito na resenha essa série é clichê, mas Julia Quinn impressiona com sua escrita e personagens que não tem como não amar. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Eu já comprei os livros dessa série, e já estou com o primeiro livro aqui na fila pra ler. A história do livro parece ser um pouco clichê mesmo, mas eu gostei mesmo assim. E a escrita da Julia Quinn realmente é ótima, então com certeza já vou amar os livros :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi Adriana...
    Sou louca para ler algo da Julia Quinn... Acho que essa série será meu primeiro contato com autora... Amo romance e o fato de Daniel fazer de tudo para ficar mais tempo com Anne, independente de qualquer coisa, já me faz querer ter essa obra em mãos para começar a ler o quanto antes... Sem contar que as capas estão lindas, né?
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  13. Oi, Adriana!
    Assim como você também amo um bom clichê, mas a trama de Uma noite como essa não despertou o meu interesse, contudo, ainda pretendo ler o Quarteto Smythe-Smith e quem sabe depois de conhecer as meninas Harriet, Elizabeth e Frances também acabe encantada por essa série?!

    ResponderExcluir