[Resenha] O Mar Infinito de Rick Yancey








Titulo : O Mar Infinito
Autor : Rick Yancey
Paginas : 248
Editora : Fundamento
Gênero :  Ficção Cientifica. Suspense.
Classificação : 


Sinopse :

COMO LIVRAR A TERRA DE 7 BILHÕES DE HUMANOS? TIRE A HUMANIDADE DELES.
Cassie Sullivan e seus amigos sobreviveram às quatro ondas de destruição provocadas pelos Outros. Agora, com a raça humana quase exterminada e a 5ª Onda encobrindo a Terra, os sobreviventes devem escolher: encarar o inverno e esperar o retorno de Evan Walker ou partir à procura de abrigo antes que o inimigo os alcance. Porque o próximo ataque é mais do que possível – ele é inevitável.

Os homens ainda não viram as profundezas até onde os Outros podem descer nem os Outros viram a que alturas a humanidade pode se erguer. Esta é a derradeira batalha entre vida e morte, esperança e desespero, amor e ódio.

Atenção, essa resenha pode ter spoilers do primeiro livro da trilogia: A 5ª Onda.]

Venho aqui mais uma vez no blog da Adriana falar de uma trilogia que me conquistou: A 5ª Onda. Dessa vez, tive a oportunidade de ler o segundo livro da série, recém lançado pela editora Fundamento, "O mar infinito". Cassie - aquela, de Cassiopeia - está de volta, junto com Ben e companhia, desafiando agora a quinta onda, à espera do cumprimento da promessa feita por Evan Walker. O livro já começa no gancho deixado pelo último, repleto de ação, exatamente no ponto que fez o leitor ficar esperando incansavelmente pelo próximo volume, já que os acontecimentos finais do primeiro livro foram extremamente emocionantes.
"Eles podem nos matar, até mesmo o último de nós, mas eles não podem matar nunca o que permanecer em nós.
Cassie, você quer voar?
Sim, papai, eu quero voar."
Pág. 52
A narrativa de Rick Yancey na minha opinião até melhora. A 5ª onda e O mar Infinito tem condições peculiares de escrita, já que o primeiro tem aquela pegada de início de trilogia, com aquele desenvolvimento do universo da trama (que o autor - na minha opinião - fez majestosamente bem). Porém, aqui no segundo livro, o tom está um pouco mais cruel (conseguiu ser mais cruel!). Há o desenvolvimento mais profundo de certos personagens que são secundários, mas porém são indispensáveis para a história, feito de uma forma respeitosa. Conhecemos seus passados e pontos de vista, que até então ainda tinham sido inexplorados.

Na minha opinião, o livro teve características importantes, dignas de serem pontuadas, além da escrita do autor:
- A metáfora do Mar Infinito. Fiquei extremamente encantada e chocada ao mesmo tempo, quando é apresentado ao leitor o significado do suposto "Mar Infinito". Isso para mim foi uma das grandes sacadas do autor, pois traz um misto de crueldade e necessidade, que no meu caso, me deixou bem abalada. A ligação com o título do livro ficou perfeitamente bem colocada.
- O link com a esperança. Ao mesmo tempo que nos encontramos em um futuro distópico e apocalíptico, Rick Yancey traz uma visão bem positiva de seu universo. A todo momento há o uso da palavra esperança. Achei isso bem carregado de significado, pois coloca o leitor no mesmo patamar dos personagens: aquela chance de ter realmente esperança. Não só para os acontecimentos do livro, mas sim para a humanidade em si, que é um elemento bem provocado na história: até que ponto carregamos a humanidade conosco?
"Não há esperança sem fé, não há fé sem esperança, não há amor sem confiança, não há confiança sem amor. Tire um e todo o castelo de cartas."
Pág. 57
- E por último, também se utilizando do tópico anterior: "sentir o sentimento". Pode parecer redundante, mas eu vou explicar. Rick Yancey traz de volta a oportunidade de sentir junto com os personagens. Achei isso bem presente em sua escrita. Você carrega o sentimento que ele quer que você sinta. Crueldade, amor, entre outros. Ele te deixa em cima do muro de opiniões da mesma forma de quem está narrando a história, no sentido que o leitor reflete "o que eu faria nessa situação?". Para mim, esse é um elemento chave em um scifi.
- Acho que de críticas, deixaria somente que o fato da narrativa ser feita por vários personagens, mudando durante os capítulos me deixou um pouco confusa quanto a ponto de vista. Não sei quanto a vocês, mas percebi que isso não segue um padrão, o que pode ser o motivo. Porém, acho que isso é um elemento para se acostumar, e não interferiu no entendimento geral da história.

Enfim, "O mar infinito" foi uma ótima experiência. Carregado de significado e sentimentos dos mais variados tipos, é uma leitura maravilhosa não só para aqueles que gostam de uma boa distopia ou scifi, mas para qualquer leitor. É uma ótima indicação também para aqueles que querem conhecer melhor o gênero. Agora só resta esperar a continuação final, e que se eu tiver a oportunidade, resenharei também para vocês. Termino a resenha com a mesma questão que levantei lá em cima: até que ponto carregamos a humanidade conosco?

22 comentários:

  1. Olá!
    Nunca li nenhum livro de ficção científica, mas amo um suspense! E claro,, estava curiosa em relação ao segundo livro dessa série...
    Acho contagiante quando o autor foca há esperança, ficamos nos perguntando igual aos personagens se eles conseguirão no final, acho isso emocionante!
    Também acho meio confuso a narrativa ser feita por vários personagens, mas que bom que isso não interferiu no entendimento geral da história pois pretendo ler essa trilogia futuramente!
    Ficarei esperando ansiosa a resenha do próximo livro!
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Any! Sim, fiquei bem surpresa e encantada com esse elemento que o autor colocou. É um ponto bem forte que para mim, traz uma reflexão enorme, em se tratando de um scifi :)
      Obrigada por comentar!

      Excluir
  2. desde que eu li a resenha do primeiro livro eu fiquei curiosa, parece que o autor conseguiu trazer algo de novos para as distopias. e achei ainda mais interessante o fato de misturar scifi..

    quanto a narrativa ser feita pelo ponto de vista de vários personagens para mim depende: algumas vezes eu acho legal, outras não.fica meio confuso, mas as vezes eu acho que essa confusão é de propósito, eu acho ruim é quando é narrado em primeira pessoa muda de pessoa e vc não percebe (parece a mesma pessoa falando...
    ah adorei o quote! essa reflexão do autor sobre a esperança colocou definitivamente a série na minha lista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou do quote! <3 Concordo com você, às vezes essa mudança de narrativa dá um toque especial, mas às vezes ela só confunde hahaha
      Beijo

      Excluir
  3. Oi Pamela!!
    Não costumo me identificar muito com os livros do autor, mas senti algo diferente em relação a este em particular. Gostei da história com significados e reflexões, e ainda mais dessa experiência cheia de sentimentos proporcionada ao leitor.
    Não sei se vou ler, mas já anotei a dica.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Ana Paula :) Fico feliz que tenha gostado da dica. Espero que você também goste do livro do Yancey. Beijo!

      Excluir
  4. Primeira vez que vejo uma resenha sobre o livro e pelo que percebi acho que é uma leitura maravilhosa. Que realmente deixa na gente, um misto de sensações e torna a história inesquecivel.

    Beijos

    http://ventoliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo! Quando o livro te deixa encabulado e em dúvida quanto a alguns valores da forma que este deixou, pode ter certeza que é um livro bom hahaha
      Obrigada por comentar :)

      Excluir
  5. Não conhecia o livro e a resenha me deixou curiosa. Não leio esse tipo de livro, mas esse acho que vale a tentativa. Espero gostar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gislaine! Dê uma chance sim, para conhecer. A probabilidade de gostar é alta haha
      Beijo!

      Excluir
  6. Ainda não li o primeiro livro 5ª Onda, curto muito Ficção Cientifica e suspense, esse também foi pra lista de leitura e essa resenha me deixou ainda mais interessada em conferi essa história que parece mesmo ser ótima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adicionar livros na lista: amo! KKKKKK Quando tiver a oportunidade, aproveite :D

      Beijos!

      Excluir
  7. Tenho o primeiro volume dessa série aqui em casa, mas ainda não o li, pois, como é uma série, só pretendo ler quando estiver com todos os volumes em mãos. Muito bom saber que esse segundo não sofreu da maldição do segundo volume. Como sou fã de distopias e sci-fi, esse já está na minha listinha de próximas aquisições.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Nardonio! Definitivamente, (graças!), o livro superou a maldição. Quando tiver todos em mãos, aproveite :D

      Abraço!

      Excluir
  8. Oi Pam! Acabei lendo a resenha do segundo livro antes da do primeiro, mas não tem problema...rs Gostei da premissa do livro. Não conhecida essa trilogia antes de você me falar. É tão bom quando a gente descobre esses livros que nem estamos esperando muito e eles vem e nos surpreendem de uma maneira tão positiva. Mais legal ainda quando o livro te prende e faz se sentir dentro da narrativa. Ótima resenha :)

    ResponderExcluir
  9. A sinopse é até interessante, sua resenha tbm, mas não é um tema que me encha os olhos.Poderia até dar uma chance no futuro mas acho isso bem improvável. Não saio da minha zona de conforto kkkkkkk

    ResponderExcluir
  10. Oiii
    Eu quero muito ler essa trilogia,mas so vou ler quando tiver os três em mãos para não ficar sofrendo de ansiedade kkk
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Adoro distopias, mas venho dando um tempo no gênero. Essa série quero acompanhar na telinha com as adaptações. Distopias têm uma coisa mágica, a ação, então é algo que prefiro ver e não ler pra ficar imaginando.

    ResponderExcluir
  12. Oi Pâmela, tudo bem? Adoro distopia, e embora não goste muito de ficção científica, desde a primeira vez que vi a sinopse de "A 5ª Onda" eu senti vontade de ler. E parece que esse segundo também é muito bom, gostei das suas críticas e a visão que você teve da história, sobre a metaforização da história, o que é realmente o mar infinito; sobre a esperança que o livro trás, mesmo se passando em um futuro distópico e ser bastante cruel; e sobre sentirmos o que os personagens sentem, e essa é uma das características que eu mais gosto em um livro.

    Acho que em relação a quantidade de personagens e as diferenças na narrativa, é mais uma questão de se acostumar mesmo.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Ainda não li "A 5ª Onda" mais gostei de saber que o segundo livro da serie já começa cheio de ação e não perde o ritmo do primeiro e não decepciona estou vendo que essa e uma leitura que nos faz sofrer com os personagens e que antes das coisa começarem a dar certo vão piorar muito !!!

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu fiquei tão apaixonada por A 5ª Onda. Eu gosto bastante de distopias, mas estava achando algumas bem repetitivas e meio chatas. Esse livro conseguiu me prender desde o início e eu gostei bastante dos personagens. Fortes e sem 'mimimi'. Estou super ansiosa pelo filme -e um pouco apreensiva, lógico. O Mar Infinito já está na minha lista, mal posso esperar para ler. Ele conseguiu ser ainda mais cruel? Uau! E eu adoro as narrativas alternadas entre os personagens. Gosto de ter visões diferentes da história.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  15. Olá, Pâmela.

    Esse é um livro que tenho interesse na leitura. O que acaba comigo é os preços dos livros da Fundamento. Sempre tão caros.
    Fiquei aqui imaginando qual será o significado de Mar Infinito. Não pode fazer maldade com os leitores do Blog e deixá-los louco para comprar livros. Adorei a resenha.

    Beijos.

    ResponderExcluir